Saiba Mais / Surdocegueira

Surdocegueira

A surdocegueira é uma deficiência única caracterizada pelo prejuízo de dois sentidos, a visão e audição simultaneamente e em graus de perda diferentes. Não se trata de uma pessoa surda que não pode ver e nem de uma cega que não pode ouvir, isto é, a surdocegueira não consiste nasomatória das duas deficiências, podendo não haver a perda total dos dois sentidos.

Por ser desprovida de dois sentidos importantes a perda sensorial traz dificuldades para o desenvolvimento da compreensão do ambiente e muitas vezes a pessoa com surdocegueira fica isolada das informações do mundo que a cerca. O surdocego necessita da utilização dos sentidos remanescentes, ou seja, aqueles que estão intactos: o olfato, paladar, tato e aqueles que ainda possuem resíduo: visuais e ou auditivos. Sentidos estes, que lhe trarão informações sobre o ambiente no qual está inserido.

No Brasil, a educação de surdocego existe há cerca de 30 anos, mas só a partir de 1990 houve um impulso devido a apoio de instituições estrangeiras, como a Sense Internacional Latino América e a Perkins School, pela promoção de cursos de capacitação na área de surdocegueira, promoção de eventos e produção de impressos informativos.

No Brasil há hoje cerca de 250 pessoas com surdocegueira (fonte: Grupo Brasil de Apoio ao Surdocego e Múltiplo Deficiente Sensorial). 

 

Plano de Desenvolvimento Individualizado - PDI

Para o trabalho com a pessoa com surdocegueira, na unidade Olhos da Alma, é elaborado um Plano de Desenvolvimento Individualizado – PDI – um documento onde são descritos de modo pormenorizado os objetivos de cada área, atendimento, atividade e projeto de cada aluno/usuário.

É um instrumento que visa a melhor forma de indicar os serviços prestados ao usuário, de modo que os objetivos selecionados por cada área são integrados e levam em consideração os interesses do aluno e de sua família, suas necessidades e potencialidades.

O PDI é uma forma recente de plano de trabalho e vem se tornando popular no âmbito da Educação Especial com diversas denominações diferentes. Sua efetividade e sucesso estão baseados na garantia da individualidade do aluno e na consideração de seu projeto de vida como objetivo dos serviços prestados. Com esse Plano de Desenvolvimento o próprio aluno é sujeito de sua evolução e assim avaliado segundo suas características, interesses e expectativas.

 

Causas

Alguns indivíduos se tornam surdocegos em decorrência de alguma condição resultante de meningite ou acidente com trauma. Outras condições como a rubéola materna, complicações devido a prematuridade, danos cerebrais, paralisia cerebral, diabetes, síndrome de Usher (degeneração da retina em função de retinose pigmentar), síndromes genéticas e encefalite estão entre as causas freqüentes da surdocegueira.

 

Classificação

Há duas formas de classificar a pessoa com surdocegueira: o Pré-linguístico e o Pós-lingüístico.

 

Pré-linguistico: quando a pessoa nasce com a surdocegueira ou a adquire logo quando bebê, antes da aquisição de uma língua.

 

Pós-linguístico:quando a pessoa adquire a surdocegueira depois da aquisição de uma língua (português ou LIBRAS) ou que já apresentava uma deficiência sensorial seja ela visual ou auditiva e adquire a outra. Pode acontecer também de a pessoa adquirir a surdocegueira sem antes ter apresentado nenhuma deficiência.

 

 

Tipos de Surdocegueira

-Cegueira Congênita e Surdez Adquirida
-Cegueira e Surdez Adquirida
-Surdez Congênita e Cegueira Adquirida
-Baixa visão com Surdez Congênita ou Adquirida.
-Cegueira e Surdez Congênita

 

 

Recursos específicos para a pessoa com surdocegueira

 

Línguas de sinais e intérprete: é o meio de comunicação mais comum utilizado, se a pessoa nasceu surda a primeira língua aprendida é a dos sinais (LIBRAS). Com o campo da visão reduzido o surdocego interpreta os sinais por meio dos movimentos do interprete que por sua vez, faz também um segundo papel: o de guia ou o chamado guia-intéprete, o qual necessita conhecer várias formas de comunicação.

É imprescindível para uma melhor locomoção, que o surdocego passe pelos treinamentos dos Programas de Orientação e Mobilidade (O.M). Treinamentos pelos quais passam pessoas com cegueira congênita ou adquirida, tendo como principal característica o uso da bengala.

 

Braille: é um recurso utilizado pelas pessoas com cegueira para desenvolver a escrita e a leitura pelo tato. Para tanto são usados recursos materiais como: reglete, punção, máquinas braille  e soroban.

 

Alfabeto Dacticológico: é o uso do alfabeto manual, em alguns casos, já utilizados pelos surdos. O interlocutor faz a letra na palma da mão da pessoa surdocega. Cada letra corresponde a uma posição dos dedos.

 

Tablitas de comunicação: é um meio de comunicação feito de plástico resistente com letras em relevo, números ordinários e caracteres em braille. A pessoa com surdocegueira, coloca o dedo indicador nas letras estabelecendo a comunicação.

 

Diálogo (fala escrita): consiste na utilização de uma máquina braille, máquina de escrever eletrônica, um gravador e uma linha telefônica. O surdocego escreve na máquina e o texto é impresso, assim, o vidente lê e utiliza a mesma forma para escrever e assim está estabelecida a comunicação.

 

CCTV: é um ampliador de imagens que visa auxiliar a pessoa que tem um resíduo visual muito pobre a ler e escrever, o CCTV amplia em até sessenta vezes o tamanho da figura.

 

Tellethouch – Este aparelho tem teclado de uma máquina braille e um teclado normal. O teclado braille assim como o teclado normal levantam na parte de trás do aparelho uma pequena chapa de metal, a cela braille, uma letra de cada vez. É um dos principais meios de interação do surdocego com outras pessoas. Ao interlocutor do surdocego basta saber ler. Sabendo ler precionará as teclas normais da tellethouch como se estivesse redigindo um texto escrito qualquer.

 

Letras de forma: Esta é a forma mais simples de comunicação para a pessoa com surdocegeuira. Neste caso, é preciso que o interlocutor saiba as letras maiúsculas do alfabeto. O dedo indicador funciona como uma caneta e o interlocutor escreve na palma da mão do surdocego.

 

Tadoma: Consiste na vibração da fala do interlocutor. A pessoa surdocega, coloca as mãos na face do interlocutor próxima à boca e sente a vibração da fala. É preciso muito treino e prática da pessoa surdocega para estabelecer comunicação utilizando este método.

 

 

Fonte: BRASIL. Ministério da Educação e da Cultura. Saberes e Práticas da Inclusão. Dificuldades de comunicação e sinalização: Surdocegueira / múltipla deficiência sensorial Secretaria de Educação Especial – Brasília: MEC/SEESP – 2006.

Voltar ao menu anterior

Unidade Olhos da Alma
Rua Maestro Grossi, 348 - Jaboticabal, SP

Fone: (16) 3202-5349

contato@olhosdaalma.com.br
Olhos da Alma